Notícias

Volume de vendas no varejo apresenta alta no Estado

  • 20 de Setembro de 2015 - 21:57:41
  • Texto: A- A+
Volume de vendas no varejo apresenta alta no Estado

A Pesquisa Mensal do Comércio (PMC), divulgada nesta quarta-feira, 16 de setembro, pelo IBGE, aponta que o comércio varejista de Santa Catarina apresenta uma recuperação com aumento de 0,7% em volume de vendas, no acumulado de 12 meses, enquanto que no país, houve uma queda de 1% no mês de julho.
 
O aumento no Estado se deve principalmente ao setor de eletrodomésticos e equipamentos de escritório. O saldo positivo foi registrado pelo segundo mês consecutivo, trazendo certo alívio entre os empresários catarinenses, já que os índices estavam negativos desde março, mas ainda são considerados preocupantes.
 
"O resultado de 0,7% ainda é negativo. O índice é fruto da inflação elevada, da restrição ao crédito e da deterioração do mercado de trabalho. Os resultados preocupam, visto que a desaceleração do setor está se prolongando. No entanto, este ligeiro aumento é suficiente para posicionar o Estado mais firmemente acima da variação nacional", comenta Luciano Córdova, assessor econômico da Fecomércio/SC.
 
De acordo com a entidade, os dados reforçam a ideia de que o Estado deve se recuperar no cenário de baixo crescimento antes do resto do país, por conta da economia diversificada e a taxa de desemprego mais baixo do Brasil (3,9%).
 
A receita do comércio varejista de Santa Catarina cresceu 12,9% em julho, em comparação ao mesmo período em 2014, o que traz um resultado real positivo pelo segundo mês consecutivo. Conforme o economista, no entanto, os números ainda indicam que a margem de lucros das empresas permanece comprimida, o que fica evidente na queda da arrecadação dos impostos que incidem sobre o lucro.
 
Nos segmentos, a variação de vendas acumulada em 12 meses em julho foi de combustíveis e lubrificantes (3,8%); Hipermercados e supermercados (-1,6%); tecido, vestuário e calçados (2,0%); móveis (-5,8%), eletrodomésticos (2,4%); artigos farmacêuticos (6,9%); livros, jornais e revistas (-2,0%); equipamentos e material de escritório, informática e comunicação (-2,4%) e material de construção (3,2%).
 
No Brasil, em julho de 2015, o comércio varejista registrou queda de 1,0% no volume de vendas, em relação ao mês anterior, sendo o sexto mês consecutivo com resultado negativo. Nesta mesma comparação, a variação da receita foi de 0,1%. O varejo nacional apresentou o decréscimo de 3,5% em comparação ao mesmo período do ano passado, com variações de -2,4% em 2015 e de -1,0% nos últimos 12 meses.
 
Fonte: Noticenter


Mais Notícias

A Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo informa que a partir de janeiro de 2017 os aplicativos gratuitos para emissão da Nota Fiscal Eletrônica (NF-e) e do Conhecimento de Transporte Eletrônico (CT-e) serão descontinuados.
Uma pesquisa divulgada recentemente pela Associação Brasileira de Franchising (ABF) mostra que quanto mais nova a empresa, maior a participação feminina no setor de franquias
Você sabe como a tecnologia de identificação por radiofrequência pode ajudar o varejo? Confira!
strial nacional cresceu 0,6% em maio, na comparação com abril, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informou nesta quinta-feira (2).
Planejamento, gestão e visão estratégica serão os pilares que sustentarão o varejo na busca por oportunidades de crescimento em meio a um cenário de restrição econômica.
Como preservar o seu negócio em tempos de crise
Varejo: Índice de Preços ao Consumidor, com peso de 30 por cento no IGP-M, subiu 1,42 por cento neste mês
Declaração foi dada pelo ministro Afif Domingos à Reuters. Segundo ele, Dilma apoia uso do dinheiro para ampliar oferta de crédito.